28 de mar de 2009

Projeto Gênesis
No começo do século XXII, o Instituto Gênesis na Rússia desenvolvia o experimento que revolucionaria toda a teoria genética.O acelerador genético era uma máquina ultrapotente, cujas cobaias voluntárias, evoluimos rapidamente em todos os ângulo físicos e mentais.Nossos músculos eram bem definidos, nossos rostos eram como príncipes e parecíamos como deuses na Terra.Já a capacidade de pensar era praticamente computadorizada, disposta a qualquer coisa, sejam as visões matemáticas, geopolíticas ou físicas, tudo era inato ao nosso ser.
Mas foi no dia em que saímos da fonte de alimentação que realmente nos descobrimos no mundo, e justamente nesse instante, decretamos a nossa própria sentença de vida ou morte.O fato foi que a mudança brusca para a sociedade, acarretou consequências irremediáveis.Foi como estarmos presos às correntes todo o tempo numa caverna e de repente, soltarmo-nos à procura de algo, o qual não sabíamos o que era na verdade.
Então, eu e meus companheiros nos vimos ameaçados pelo modo com que os humanos se interrelacionavam, pois eram completamente individualistas.No entanto, Marcu se sobressaiu, conseguindo ganhar o carisma das pessoas através de seu caráter persuasivo que aprendeu observando os pobres coitados.Ele se tornou um grande presidente em termos estratégicos, uma vez que sua ganância era determinar a superioridade dos projetos gênesis sobre os humanos.Karl e Marx acabaram se acoplando às idéias revolucionárias de Marcu, mas se esqueceram de um detalheL somente um poderia ser "o cabeça".
Foi por essa disputa de comando que Marx se aliou a Marcu numa conspiração contra Karl.Marx planejou minuciosamente a morte de Karl, o qual foi encontrado morto com um copo de veneno perto do corpo.Porém, a intenção de Marcu era ter o poder em suas mãos e por isso, denunciou Marx às Forças Armadas, afirmando que o suicídio fora forçado por um louco e este pretendia ainda tomar a cadeira presidencial e provocar uma nova Guerra Mundial.Sem muita demora, o assassino, Marx, foi condenado à forca e seu histórico deletado do projeto.
O interessante é que pude fazer o que queria com todos os meus companheiros de projeto porque consegui manipulá-los com maior sabedoria, ao passo que Marcu, foi apenas mais um peão no jogo de xadrez.Depois de derrotá-los, tornei-me o símbolo da Nova Raça Mundial e exerço poder sobre todos os países desse planeta.É claro que o jogo não acaba nunca e quem sabe qual será a próxima vítima.

A menina de Laços
Eram lindas aquelas cores que formavam um círculo de fora para dentro, com branco, vermelho e amarelo.Parecia um pirolito gigante, o qual Anna nunca experimentara.
Assim se via o circo passando.Ele era magnífico e fantasiosos eram seus habitantes.Os palhaços, com aquele rostos pintados de formas engraçadas, com roupas de bolinha e brincadeiras de encantar qualquer um, inclusive Donna, a mãe de Anna.As bailarinas faziam piruetas de deixar a plateia tonta e suas roupas eram o sonho das filhas dos patrões.Ah, quanta alegria podia ser espalhada através do circo!Foi quando Anna, a menina de origem humilde avista o trapezista.Embora ela não soubesse o que era ser um trapezista.
Nesse mesmo momento, Anna percebe que seu laço de cabelo se perde pela rua, dando uniformidade as suas roupas amarrotadas e sem costura.Num despertar, o sonho daquela menina se transforma.Ela tenta compreender que agora seu destino é encontrar seu príncipe e agora ela o tem à sua vista.
Muitos dizem que o sexto sentido feminino nunca deve ser ignorado e assim o fez.Anna deixou seu casebre e caminhou horas e horas até chegar a cidade, levando consigo uma simples trouxa de roupa.Sozinha e perdida, desabou em lágrimas sem saber o que fazer.Foi então que um belo rapaz estendeu-lhe a mão, perguntando seu nome.Era o trapezista.Percebendo que a moça estava nervosa e sem casa, ele lhe ofereceu uma noite no trailer para que ela pudesse descansar sem perigo.
No outro dia sua mãe saiu ã sua procura, porém a única coisa que viu foi uma linda ajudante do mágico, com o rosto todo coberto pela maquiagem ofuscante, caminhando em direção a circo.Mesmo sem reconhecer que era a sua menina, Donna sentia que ela não estava longe.
Contudo, o circo foi embora e Anna o seguiu, na chance de ser tudo aquilo que sonhara, mas nunca esquecera aquele último olhar dado entre ela e a mãe, que definitivamente perdeu-a para um novo mundo, inusitado e diferente, o mundo do circo.

18 de mar de 2009

Primeiro olhar,primeiro sinal.Chegavam um contra o outro, num balanço de olhares que pareciam não se conter.Começavam a cochichar entre os lados somente para sentir a reação oposta e dançavam.Continuavam entre os laços de amigos a fatalizar o momento de um modo romântico e perspicaz.Até que ele toma a iniciativa e vai de encontro a mercadoria, mas é tarde demais.
Assim, conseguiram tornar a noite uma vergonha amorosa.Fizeram da água, o vinho, e da conquista, o troféu.Mas não transformaram o acaso em coincidência, nem o desconhecido em amado.Era apenas um jogo de sedução.O problema é os dois eram as vítimas.
A amada sabia do desejo carnal e fez do mesmo, o desejado.Tornou a pedra preciosa e se envaideceu pelo produto.O galanteador almejava a mercadoria mas facilitou para o tempo passar...e ela também passou.
Acontece que eram os resultados das equações e a finalização do mercado e esqueceram de que o amor não pede complicações, não pede definições tampouco racionalidade.
Só não compreendemos o que ele realmente quer, a essência de nós mesmos.